Longe Dela

Direção: Sarah Polley

Elenco: Julie Christie, Gordon Pinsent, Olympia Dukakis, Deanna Dezmari, Clare Coulter

Away From Her, EUA, 2007, Drama, 105 minutos, 12 anos.

Sinopse: Grant (Gordon Pinsent) e Fiona (Julie Christie) formam um casal feliz, que tem sua vida abalada quando ela apresenta alguns graves sintomas, como perda de memória. Logo vem a confirmação: Fiona está com mal de Alzheimer. Relutante a princípio, ela passa a aceitar a doença e se interna numa clínica. Uma das regras do local é que os pacientes não recebam visitas durante seus primeiros 30 dias. Quando Grant finalmente consegue vê-la, ela já não o reconhece mais. Fiona agora está afeiçoada por Aubrey (Michael Murphy), outro paciente da clínica, o que faz com que Grant tenha que se contentar com sua nova condição de amigo ao mesmo tempo em que tenta ajudá-la a se lembrar do passado.

Logo quando alguém se refere ao filme Longe Dela, logo toda a opinião fica em volta da protagonista Julie Christie, que é a recordista de premiações na categoria de atriz nessa temporada. Contudo, existem outros aspectos do filme que o tornam uma das experiências mais emocionantes da safra do Oscar desse ano. A começar pelo roteiro, adaptado por Sarah Polley e concorrente ao prêmio da Academia, que dá grandes dimensões psicológicas a cada personagem e conduz essa história de forma muito sensível, indo além de uma mera história de amor entre idosos.

Se o sentimentalismo de Vênus era totalmente dependente de seu protagonista, o de Longe Dela está presente em praticamente tudo: nos protagonistas, nos coadjuvantes, nas cenas, na trilha sonora e até mesmo na bela fotografia. Mas tudo está longe de qualquer sentimentalismo barato ou emoções manipuladoras. O filme foi bem emocionante e intenso para mim , sendo um bom exemplar dessa temática que já foi trabalhada em tantos outros filmes como Íris e O Filho da Noiva. Não falta ritmo na narrativa de Longe Dela. O único aspecto que desagrada é o formato de idas e vindas no tempo, que, em alguns momentos, acabam tornando a cronologia um pouco confusa, principalmente no começo.

Na realidade, o personagem de Julie Christie não é o protagonista da história (Gordon Pinsent é quem comanda, e está ótimo), mas é o que mais se destaca. Julie Christie brilha completamente e ilumina cada cena em que aparece. Certamente é o desempenho mais sincero e emocionante que já vi em um filme sobre a respectiva doença. Enfim, Longe Dela é um filme cheio de méritos e que merece ser descoberto, principalmente pelo fato de que trabalha uma história de amor de forma muito bonita e humana.

FILME: 8.5

4

17 comentários em “Longe Dela

  1. Fiona…

    Existe coisa que eu gostaria que fossem embora… Mas elas não vão, coisas que a gente não tem coragem de dizer, você nunca me deixou e ainda fazia amor comigo apesar das exigências perturbadora das outras, mas todas aquelas sandálias todos aqueles dedos femininos de fora , como você não poderia fazer parte de uma época que era sua ,todas aquelas garotas bonitas.não parecia que nenhuma delas queria ser deixada de lado ser deixada de lado. Acho que você fez tudo certo comparado a alguns colegas seu que deixaram as esposas…

    Quando fiona relata que gostaria que coisas que fossem esquecidas , entendo

    De certa forma de modo velado , fiona relembra que seu marido não tinha boa conduta perante seu casamento em épocas passadas.embora ele ainda permanecesse no casamento deixa sua fidelidade em duvida, quando transa com Marian , mesmo casado com fiona ,

  2. Este filme é a definição de “amor” mais completa que ja vi, os atores estavam soberbos, o roteiro verdadeiramente divino,
    neste mundo tão cheio de egoismo em que vivemos foi uma aula do que é verdadeiramente amar alguem.
    A trilha sonora , ótima tambem, enfim , um filme que eu pelo menos não vou me esquecer nunca.
    Achei que a Julie Christie deveria ganhar todos os oscars do mundo, mas o Gordon Pincent, que eu sinceramente nem conhecia, arrazou.

  3. Olá Matheus
    Aqui é o Marco Aurélio Marcondes, da MOVIEMOBZ , nova distribuidora – que nesta sexta-feira, 16 de maio, está lançando nos cinemas, o primeiro filme dirigido pela atriz Sarah Polley, LONGE DELA ( Away From Her), estrelado por Julie Christie. O filme entra nos cinema de Porto Alegre, Rio, São Paulo, Santos e Curitiba. Em outras cidades no dia 23.
    Nós da MOVIEMOBZ, iremos fundamentalmente trabalhar com filmes independentes, gostaríamos de manter contato regular com você. Além de lançamentos convencionais, como LONGE DELA, vamos trabalhar um novo conceito, que é o cinema sob demanda, e no final de junho estaremos lançando um sítio, que creio você vai gostar de conhecer. Gostaria ainda de assistir ao teu curta, A CARTOMANTE. Por favor, mande-nos seu e-mail para mam1950@terra.com.br.
    Abraços
    MAM

  4. Acho que sou o único que quer que Julie Christie vença o Oscar, mas não me importo, atuações simples e minimalistas sempre me impressionam mais.

    Ah, e o roteiro de Sarah Polley é incrível.

  5. espero que chege pelas minhas bandas aqui, ehhehe…
    Adorei a sinopse e os seus coemntários me animaram… tipo, adoro filmes com essa temática, me lembrou muito, em parte, do “diário de uma paixao” que considero muito bonito, obvio qeu deve ser diferente, mas a temática central da doença é a mesma…
    abraços

  6. Realmente dizem que, mesmo estando ótima, Julie Christie não merecia o Oscar, vendo as outras concorrentes da lista. Adoro a atriz Sarah Polley e ela deve se sair muito bem neste filme que marca a sua primeira direção de longa-metragem.

  7. Estou louco pra ver esse filme. Na verdade, tenho a mesma sensação que vc teve. Mas ainda não vi o filme.

    Quero dizer que por mais que a Julie Christie esteja bem, acho difícil alguém superar o trabalho de Marion Cotillard. E Julie já ganhou um Oscar, não?

    De coração, torço por Ellen Page. Mas a razão me diz que Marion precisa ganhar o Oscar.

    Abs!

  8. Estou passando para te convidar a conhecer um blog que acabo de criar, de nome “A Grande Arte”.
    Endereço: http://agrandearte.wordpress.com
    Colocarei seu blog na minha lista, ok? Frequento há algum tempo e sempre gostei muito de seus posts.
    Aparece lá, abraços.

  9. Já é o segundo bom comentário que leio a respeito de “Longe Dela”. Quero muito assistir ao filme, acho que mais pela Sarah Polley. Adoro ela como atriz, a maneira sutil e sensível com que ela aborda seus personagens e acho que a versão diretora dela é dessa mesma maneira. Que bom que o filme não cai para um lado sentimentalista barato e explora bem as emoções vindas de seus personagens.

  10. Oi Matheus! Só estou passando aqui para dizer que deixei dois Memes para você lá no blog. Depois confira, ok? ;)

  11. Com relação as premiações fica difícil julgar. A atriz Julie Christie vem abocanhando quase todos os prêmios de críticas. E isso faz dela a grande favorita ( vale lembrar que ela venceu o Sindicato dos Atores ) ao Oscar.
    Não assisti ao filme da Cottilard, mas julgo dessa maneira: Julie Christie teve um retorno sensacional em um personagem sincero e humano. Ela foi a atriz mais premiada da temporada. E isso faz jus…. quanto a Cottilard vale pelo “Nasce Uma Estrela”, acreditando no seu potencial.Vai brilhar muito!
    Oscar é Oscar; às vezes acerta e outras erram.
    Mas quanto a Julie creio que a maioria dos críticos foram unanimes ( e torço por ela ).
    Abraços a todos!!!!!!!!!

  12. Poderia ser mais um caso em que a performance de uma artista carrega o filme nas costas, mas pelo que você diz, o filme de Polley tem muitos outros atrativos bem-sucedidos. Os atores, experientes, devem estar mesmo em estado de graça.

    Duvido que passe aqui na minha cidade, mas com certeza alugarei o DVD assim que sair.

    Cumps.

  13. Tenho muitas expectativas por esse filme, a Sarah Polley parece ser a grande revelação do ano com sua direção. E também não confio que Julie esteja tão bem a ponto de superar a Cotillard, mas diria que seu Oscar já está praticamente garantido – a não ser se a Academia for por um caminho diferente e não querer premiar a mais veterana de todas.

    Abraço!

  14. “Longe Dela” está com estréia agendada para meados de fevereiro em minha cidade e certamente irei conferir o resultado de uma sinopse tão bonita. Um dos meus maiores medos sempre foi deixar as coisas se perderem, sumirem, e se vivesse algo parecido com o que vive Gordon Pinsent no filme, tenho certeza de que sofreria muito. Portanto aguardo uma produção delicada, romântica, sincera, intimista e emocionante.
    A respeito de Christie, acho que vai acabar levando a estatueta. Vi “Piaf” e me encantei com o talento arrasador que estava oculto dentro de Cotillard, posto que havia feito trabalhos que não exploraram tanto sua capacidade de atuação; então, adoraria vê-la vencedora, mas acho difícil. É fato consumado que o Oscar tenha preconceito em premiar estrangeiros nas categorias principais.
    E como já disse em um comentário antigo, como seria bom ver o prêmio Longe Dela (Christie) e perto de Cotillard…

  15. Wow, nota bem alta (para seus padrões digo, rsrsrs) e fiquei mais ansioso em relação ao filme. Mas pelo jeito Christie realmente não é tão boa quanto Cottilard né? Verei assim que estreiar aqui. Preciso antes pegar os filmes de Coixet para ver.

    Ciao!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: