Livro – Ensaio Sobre a Cegueira

051.jpg

O certo e o errado são apenas modos diferentes de entendermos nossa relação com os outros. É bem certo que o difícil não é conviver com as pessoas, o difícil é compreendê-las. As respostas não aparecem sempre quando são precisas… Muitas vezes, ter de ficar à espera delas é simplesmente a única resposta possível.

Muitas pessoas consideram Ensaio Sobre a Cegueira (do autor português José Saramago) uma obra literária impossível de ser adaptada. Quando o diretor Fernando Meirelles – que já se demonstrou incrível habilidade na direção de longas como O Jardineiro Fiel) – decidiu que iria filmar Cegueira (o título em português será somente essa palavra), muitos ficaram atônitos com a decisão dele. Depois que conclui a leitura do livro de José Saramago, cheguei a conclusão que Meirelles está se arriscando sim nesse projeto. Mas caso tudo seja bem construído, teremos com esse filme, uma das obras mais polêmicas, ousadas e poéticas do cinema contemporâneo. Ainda temos outros detalhes menores envolvendo a produção, como a escolha de Julianne Moore para a protagonista. A maior especulação em torno de sua atuação é que ela seja a que vai render o primeiro Oscar para a atriz, que já merecia ter sido consagrada quando concorreu como coadjuvante por seu brilhante momento em As Horas.

Agora vamos ao livro. É mais um dia normal em uma grande metrópole. De repente, parado em frente a um semáforo, um motorista cega. A sua cegueira é branca, causando seu desespero. A partir daí, uma epidemia se espelha, cegando diversos membros da sociedades – ironicamente, nem um oftamologista se salva. Tentando conter essa desgraça, o governo isola esses casos em um manicômio abandonado, onde os cegos ficarão presos e receberão apenas um auxílio na alimentação para sobreviverem. No entanto, para acompanhar e proteger o marido, uma mulher resolve mentir e dizer que está cega para também ir ao tal manicômio. O que ela não sabe é que é a única pessoa que não cegou e nunca cegará. José Saramago nem se preocupa em explicar porquê essa mulher não cegou ou porque ela é a “escolhida”. O que o autor quer fazer é mostrar para o leitor, através dos olhos da personagem, todo o caos e barbárie que vai se instalar nesse lugar doentio que, aos poucos, vai se tornando cada vez mais insuportável de se viver.

A linguagem utilizada é bem complicada (até porque o autor pediu que a grafia de Portugal fosse mantida, assim como outros autores fizeram, ao exemplo de Inês Pedrosa, com o seu brilhante Fazes-Me Falta) e o estilo de narrativa é um pouco cansativo. Mas aos poucos, o leitor vai se acostumando com todo o jeito de Saramago. O livro se desenvolve de forma ágil e muitíssimo interessante, ainda que fique um pouco sem graça nos momentos finais. Os personagens são muito bem explorados, cada um conquistando seu espaço na trama. Como esquecer a rapariga dos óculos escuros ou o rapazinho estrábico? Tudo muito bem temperado com cenas altamente chocantes como estupros e assassinatos, além de pura filosofia ao analisar todo o caos instalado nessa nova sociedade desprovida de visão. O autor dá um excelente tom de “fim do mundo”, onde tudo é completamente vazio, sem esperança ou motivações para viver. Se Meirelles estava atrás da obra perfeita para fazer seu melhor filme, aqui está ela.

15 comentários em “Livro – Ensaio Sobre a Cegueira

  1. Assisti ao filme na escola , com uma certa analise feita pelo o professor.Admiro a criatividade do José saramago de colocar uma população diante de uma situação caótica para mostrar o real lado do ser humano.Somos cegos em negar que temos esse lado “ruim” ou ate mesmo , RUIM.Julgamos , criticamos e apontamos os erros dos outros enquanto estamos cegos dentro de nós mesmos , e não conseguimos ao menos reconhecer nossos erros.É um fato a se pensar…

  2. Li o livro e assisti ao filme, percebi que que foi bem fiel a escrita, mas ainda tenho a dúvida: a mulher do médico ficou cega ou não?, em ambos não fica claro, um ponto mudou muita coisa no livro e a falta de palavras no filme, na minha opinião ela cegou como todos os outros, mostrando que todos estão voluveis à cegueira social, que cedo ou tarde faremos parte deste mundo insano. Por favor, se puderem me responder com argumentos agradeço.

  3. Acabei de ler o livro Ensaio Sobre a Cegueira do José Saramago, mas ainda não assisti ao filme, sobre o livro posso dizer que trata-se de um dos melhores dos últimos tempos, obra de gênio, faz o leitor refletir que nós muitas vezes somos cegos diante de várias situações, mesmo tendo bons olhos, aprendemos a perceber que tudo tem dois lados, que os atos das pessoas que são condenados pela sociedade, sempre tem um porquê, ler e entender essa obra é tirar a venda dos olhos da sociedade.

  4. Pingback: Ensario sobre a Cegueira (livro e filme) e Documentário Janela Da Alma « Café Cultural

  5. ana de salvaterra de4 magos 5º A ESCOLA BASICA E SECUNDARIA DE SALVATERRA DE MAGOS

    O LIVRO E UMA MERDA TAL COMO O AUTOR

  6. ola… :)
    simplesmente, adorei ler esta obra.
    fez-me imaginar como seria se ficasse cega? realmente nao sei o que o mundo seria sem um dos cinco sentidos (visao).
    levou_me de facto a entrar nesta epidemia “branca”

    Parabens pela tao magnifica obra de literatura
    bjinho*

    .. estou anciosa para poder ver o filme ;)

  7. Meu maior interesse na história é pela adaptação do Fernando Meirelles para os cinemas – no qual, acredito, deve ser ao menos um dos 5 melhores filmes do ano, visto que isso ocorreu com “Cidade de Deus” e “O Jardineiro Fiel”. Adorei a última frase de seu texto ;)

  8. Matheus, eu não acho que “Ensaio sobre a Cegueira” seja um livro difícil de ser adaptado, por uma simples razão e que está no seu texto: os personagens são marcantes e a trama mostra possibilidades diversas de adaptação (por exemplo, um filme poderia ser feito ali naquele quartel aonde os cegos são colocados e outro filme poderia ser feito para mostrar o caos que acontece do lado de fora). Eu faço parte do grupo que aguarda o filme com ansiedade e que espera que este seja o ano da Julianne Moore – nesta última parte, peço desculpas aos fãs de outra merecedora do Oscar, a Srta. Kate Winslet.

  9. Matheus.. espero que Blindess seja perefeito assim como são perfeitas as criticas a respeito do livro.. ainda não o li, e fico sempre nessa de ler ou não antes de ver o filme…rs…
    abraços

  10. É, mal posso esperar por ele! E quando fiquei sabendo que Sandra Oh praticamente implorou pra fazer uma pontinha no filme nao pude conter um risinho na boca. Vai ser um filmaço!

  11. Estou bastante ansioso por este trabalho de nosso talentoso diretor Fernando Meirelles. E mais uma vez ele reuniu um grande elenco. Se em “Jardineiro Fiel” tivemos Rachel Weisz e Rapl Fiennes, agora, em “Cegueira” teremos Mark Ruffalo e Juliane Moore, talentos admiráveis.
    Oscar à vista?
    Abraço!

  12. As vezes tenho medo do “mais esperado” ser um fator decepcionante. Muita espera gera frustrações. Enfim, as vezes acho melhor “esquecer” o filme e não fazer análises, esperar apenas…

  13. Seu texto me intrigou consideravelmente. Eu já acho que o filme desponta como um dos provavéis melhores do ano. Acompanha o blog do Meirelles sobre o filme?

    Ciao!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: