Melhores de 2008 – Ator Coadjuvante

art02

Se o Oscar de 2008 não foi aprovado pela maioria dos cinéfilos no quesito entretenimento, ninguém pode reclamar da distribuição de estatuetas no setor das interpretações. Um exemplo é Javier Bardem, que levou o prêmio da Academia de ator coadjuvante por sua arrebatadora interpretação em Onde Os Fracos Não Têm Vez. Ele é, provavelmente, a grande força do filme; sustenta o interesse do espectador na história, criando uma figura muito intrigante. Ele é o mal em pessoa, um dos melhores vilões do cinema contemporâneo. Bardem impressiona com seu cabelo estranho, compondo uma representação excepcional sobre a falta de sentimento, noção e piedade do ser humano. Entretanto, o trabalho é muito mais do que apenas um personagem incrível. É a soberba técnica de um ator mais do que competente. Vencedor do ano passado: Casey Affleck por O Assassinato de Jesse James Pelo Covarde Robert Ford.

Heath Ledger como Coringa em Batman – O Cavaleiro das Trevas

melhledO público já cantava o sucesso de Heath Ledger antes mesmo de o filme ir para os cinemas. E com toda razão. Ledger não apenas tem em Batman – O Cavaleiro das Trevas o melhor papel de sua vida (já acabada), tem uma personificação memorável. Fica evidente, durante o filme inteiro, que todos os méritos do Coringa são dele. Ledger conduz com maestria os momentos que lhe são proporcionados e seus trejeitos são impecáveis. Mas tudo sem nunca cair no exagero. Sem falar, é claro, que ele é ajudado por um grande filme que tem vários aspectos positivos para favorecer sua trajetória bem-sucedida. Seu personagem pode até não ter um desfecho satisfatório (só eu reclamo disso?), mas isso é  mero detalhe perto da atuação do ótimo Ledger.

Paul Dano como Eli Sunday em Sangue Negro

melhdanEsse é um jovem talento que ainda é meio subestimado por parte da crítica especialiazada. Já realizou filmes bem sucedidos como Pequena Miss Sunshine (e já merecia uma indicação ao Oscar, mais que seu companheiro Alan Arkin) e agora volta a acertar com Sangue Negro. Muitos julgam o seu papel no filme de Paul Thomas Anderson como exagerado (até porque o fanatismo religioso do personagem tem bastante disso), mas a verdade é que Dano captou muito bem a essência da figura que interpreta. Mesmo competindo em cena com um perfeito Daniel Day-Lewis, ele consegue seu espaço em cena. Isso já acaba sendo uma prova do quão competente é a atuação de Dano. Merecia mais respeito por seu momento em Sangue Negro. INDICAÇÃO ANTERIOR: Melhor Ator Coadjuvante em 2006 por Pequena Miss Sunshine

Mark Ruffalo como Dwight Arno em Traídos Pelo Destino

melhmarkMark Ruffalo faz parte de um dos grandes filmes de 2008: Ensaio Sobre a Cegueira. Mas não é no projeto de Fernando Meirelles que ele tem um destaque significativo. Em um ano muito fraco entre os atores coadjuvantes, Ruffalo conseguiu se sobressair com sua interpretação no pouco visto (e subestimado) Traídos Pelo Destino. Ele tem o papel mais interessante no filme de Terry George – um homem cheio de culpa por ter causado um acidente e matado um garoto. Além de ser a figura mais trabalhada da história, o personagem dá a chance de Ruffalo mostrar mais uma vez que é um excelente ator. Se o filme tivesse feito mais sucesso ou se até mesmo não fosse tão comum, o ator certamente teria mais reconhecimento (que já merece faz um bom tempo).

David Strathairn como Arnie Copeland em Um Beijo Roubado

melhstratDavid Strathairn já conquistou meu respeito faz um bom tempo. Desde sua marcante interpretação em Boa Noite e Boa Sorte, o ator nunca caiu na qualidade. Sua participação em Um Beijo Roubado é bem restrita (e o filme não chega a ser mais significativo), mas temos aqui mais uma prova de sua enorme competência. Seu papel é basicamente clichê – um homem com problemas de bebida que não consegue esquecer um amor do passado – mas Strathairn humaniza a figura de tal maneira que o resultado acaba sendo hipnotizante a todo momento que ele aparece em cena. A química com sua companheira de tela, Rachel Weisz (igualmente excelente, e até melhor), só ajuda na qualidade. INDICAÇÃO ANTERIOR: Melhor Ator Coadjuvante por O Ultimato Bourne em 2007.

Os visitantes discordaram da opinião do Cinema e Argumento e elegeram Batman – O Cavaleiro das Trevas como o melhor na categoria. Abaixo, a opinião dos visitantes, na pesquisa realizada:

  1. Heath Ledger – Batman: O Cavaleiro das Trevas (53%, 19 votos)
  2. Javier Bardem – Onde Os Fracos Não Têm Vez (39%, 14 votos)
  3. Paul Dano – Sangue Negro (8%, 3 votos)
  4. David Strathairn – Um Beijo Roubado (0%, 0 votos)
  5. Mark Ruffalo – Traídos Pelo Destino (0%, 0 votos)

13 comentários em “Melhores de 2008 – Ator Coadjuvante

  1. Pingback: Melhores de 2009 – Ator Coadjuvante « Cinema e Argumento

  2. Vinícius, como você pode ver no post, eu gostei mas da atuação do Javier Bardem!

    Rafael, vi o desafio sim! Acabei de postar aqui no blog.

    Peter, nem vou comentar sua opinião sobre o filme ¬¬

    Kau, eu acho Mark Ruffalo excelente em “Traídos Pelo Destino”.

    Fernanda, eu entendo o teu voto haha

    Kamila, o Javier Bardem me surpreendeu mais que o Heath Ledger. E acho a figura de Anton Chigurh muito mais “vilanesca” que a do Coringa.

    Lucas, eu gosto de vários trabalhos de Ruffalo.

    Weiner, Oscar mais que merecido para o Javier, né? E pro Heath vai ser igualmente merecido esse ano também.

    Lucas, concordo plenamente com seu comentário!

  3. Com certeza Javier Barden. Heath Ledger estava bem, mas o personagem de Barden era um espetáculo e sua atuação só melhorou isso.

  4. Vejo que você também optou por Javier Bardem nesta categoria – e mesmo que Ledger tenha arrebentado como o Coringa, 2008 foi mesmo de Anton Cigurh. Sorte que o Oscar 2009 é só do Ledger!
    Abraço, Matheus!

  5. nao gosto mto do ruffalo, acho suas atuacoes medianas, embora nao tenha visto ‘traidos’. ‘my blueberry nights’ é um filme bonito, mas tem roteiro fraco, logo a participação nao so de david passa batida….

  6. Matheus, assim como você, também acho a atuação do Javier Bardem superior à do Heath Ledger. Por várias razões, mas especialmente, porque ele compôs um vilão da forma como ele tem que ser: frio, calculista e cujas motivações são resultado de uma personalidade que é genuinamente má.

    Bom final de semana!

  7. Olha, realmente Heath é imbatível e teria indicado Paul tb. Minha maior alegria é ver David Strathairn na lista… excelente, assim como Portman e Weisz.

    Agora… acho tudo HORRÍVEL em Reservation Road rsrsrs.

    Abraços!

  8. Apesar de ter gostado bastante da atuação de Javier, meu vencedor seria o Coringa inesquecível de Heath Ledger. O personagem de ambos são profundos, mas o que permanece em nossas cabeças por tempos à fio é o palhaço do crime. Abraço!

    P.S.: Matheus, tem um desafio pra você lá no Tablito, não sei se já viu, mas é bem simples (:

  9. Apesar de gostar muito da atuação do Javier Bardem (provavelmente meu segundo favorito aqui), acho que nada superou a atuação do Heath Ledger no ano passado. Como você disse, já esperávamos uma grande atuação, e foi ótimo ver isso se concretizando.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: