G.P. do Cinema Brasileiro 2011

Se as pessoas já reclamam das cerimônias do Oscar, Globo de Ouro e afins, imagina, então, o que não devem falar do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro… Mas, excetuando qualquer comparação com as premiações norte-americanas (até porque aqui não rola o mesmo dinheiro que lá), o G.P. ainda tem muito o que evoluir no quesito cerimônia. A começar pelo cenário sem atrativos, total falta de glamour e aquele velho clima de mera formalidade. Formalidade que ficava ainda mais presente no formato adotado para anunciar os vencedores. Às vezes, apresentavam três categorias ao mesmo tempo, falando 15 indicados e depois chamando todos os vencedores para o palco.

Outro problema é a desorganização. Teve convidado que anunciu o vencedor antes de sequer falar os indicados, apresentadores perdidos caminhando em direções erradas e completa falta de harmonia entre os depoimentos – enquanto alguns falavam por cerca de 20 segundos, outros falavam em minutos intermináveis sem qualquer intervenção da equipe organizadora. Bruno Mazzeo e Fabíula Nascimento, a dupla estilo Anne Hathaway e James Franco, bem que tentaram animar a situação com piadinhas (a maioria não causava nem um sorriso amarelo na plateia) e trazer desenvoltura para a cerimônia. Em vão. Eles, principalmente Mazzeo, falharam em todas as suas tentativas.

Quanto aos prêmios, podemos nos dar por satisfeitos. O bom senso reinou e Tropa de Elite 2 foi o grande vencedor, batendo o queridinho Daniel Filho. A coroação foi justa, uma vez que o filme de José Padilha, ao contrário de Chico Xavier, não foi só sucesso de bilheteria, mas também quase uma unânimidade entre a crítica. Nas atuações, se o prêmio de Cássia Kiss parece incompreensível (aqueles poucos minutos dela em cena não justificam prêmio algum), pelo menos o de Glória Pires parece justificável: ela é a luz e o ponto alto do fracassado Lula – O Filho do Brasil. Minha torcida era para Christiane Torloni, mas o prêmio para Glória foi justo e também uma espécie de consolo por ela ter perdido ano passado por É Proibido Fumar.

Ou seja, o G.P. do Cinema Brasileiro 2011 estava satisfatório em termos de prêmios – com exceção, claro, de algumas loucuras, como o empate na categoria de ator coadjuvante, por exemplo – mas perdeu qualquer chance de salientar as justas vitórias de Tropa de Elite 2 e suas boas escolhas em função de sua festa mecânica e sem brilho. Faltou organização, boas ideias, bom senso (colocar a premiação na terça-feira não é uma boa ideia) e, principalmente, presença dos vencedores. Vários deles estavam ausentes. Fora a satisfação de ter seu trabalho reconhecido, não devem ter perdido muita coisa nesse evento que se propõe ser, como dizem, o “Oscar brasileiro”. Não exijo o mesmo espetáculo técnico dos norte-americanos, mas pelo menos a organização e o carisma. Só que é difícil esperar isso de uma premiação cuja lista de indicados que já apontava bagunça…

OS VENCEDORES:

Melhor Curta-Metragem Animação: Tempestade
Melhor Curta-Metragem Documentário: Geral
Melhor Curta-Metragem Ficção: Recife Frio
Melhor Longa-Metragem Estrangeiro: O Segredo dos Seus Olhos
Melhores Efeitos Visuais: Nosso Lar
Melhor Longa-Metragem Infantil: Eu e Meu Guarda-Chuva
Melhor Figurino: Quincas Berro D’Água
Melhor Maquiagem: Chico Xavier
Melhor Direção de Arte: Quincas Berro D’Água
Melhor Som: Tropa de Elite 2
Melhor Trilha Sonora: O Homem Que Engarrafava Nuvens
Melhor Trilha Sonora Original: Olhos Azuis
Melhor Montagem Ficção: Tropa de Elite 2
Melhor Montagem Documentário: Dzi Croquettes
Melhor Direção de Fotografia: Tropa de Elite 2
Melhor Longa-Metragem Documentário: O Homem Que Engarrafava Nuvens
Melhor Atriz Coadjuvante: Cássia Kiss (Chico Xavier)
Melhor Ator Coadjuvante: André Mattos (Tropa de Elite 2) e Caio Blat (As Melhores Coisas do Mundo)
Melhor Roteiro Original: Tropa de Elite 2
Melhor Roteiro Adaptado: Chico Xavier
Melhor Atriz: Glória Pires (Lula – O Filho do Brasil)
Melhor Ator: Wagner Moura (Tropa de Elite 2)
Melhor Direção: José Padilha (Tropa de Elite 2)
Melhor Longa-Metragem de Ficção: Tropa de Elite 2
Voto popular – Melhor longa-metragem estrangeiro: A Rede Social
Voto popular – Melhor longa-metragem documentário: Dzi Croquettes
Voto popular – Melhor longa-metragem nacional: Tropa de Elite 2

4 comentários em “G.P. do Cinema Brasileiro 2011

  1. Kamila, exatamente! Sempre sabemos quem vai vencer…

    Luis Galvão, pelo menos tiveram o bom senso de consagrar “Tropa de Elite 2″ e deixar Chico Xavier” um pouco de lado!

  2. Recife Friooooo! Adoro esse curta do Kleber, é genial. Gostei da divisão dos prêmios também, principalmente por O Homem Que Engarrafava Nuvens e Tropa de Elite 2

  3. Pelo jeito, eu não perdi muita coisa… O que me irrita nessa premiação, pra falar a verdade, é que os vencedores são sempre o mais do mesmo… Não temos surpresa…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: