Desenrola

Direção: Rosane Svartman

Elenco: Olívia Torres, Kayky Brito, Lucas Salles, Vitor Thiré, Daniel Passi, Marcello Novaes, Letícia Spiller, Juliana Paiva, Pedro Bial, Juliana Paes

Brasil, 2011, Comédia, 95 minutos

Sinopse: Priscila (Olívia Torres) tem 16 anos e se acha uma garota normal demais, principalmente, quando repara em suas amigas. Quando sua mãe viaja a trabalho e ela fica sozinha em casa, decide que vai dar um jeito na sua caretice e vai fundo nessa ideia. Entre as muitas mudanças que pretende promover na sua vida, a virgindade parece ser uma das prioridades, mas sera que a hora certa é agora? Embora esteja decidida em investir no mais galinha da turma (Kayky Brito) para viver sua primeira experiência sexual, um trabalho em grupo na escola e uma viagem com amigos, podem mudar para sempre as suas expectativas porque ela descobre que nem tudo é exatamente como dizem e a verdade pode ser bem diferente da realidade.

O apresentador Pedro Bial resolveu dar uma de ator em Desenrola e, de tão emocionado que ficou com a experiência, comentou no Twitter: “Desenrola! Que realização! Filme impecável, sensível, emocionante! Cito meu filhinho: parece americano de tão bom”. Existem, pelo menos, duas afirmações absurdas nesse comentário de Bial. A primeira é: desde quando filme “americano” é sinônimo de qualidade? E a segunda e mais importante: seguindo os padrões dele, Desenrola não é bom para ser comparado com filme “americano”. Aliás, esse é um longa-metragem que não segue o padrão de uma excelente sequência de filmes sobre adolescentes que estava sendo apresentada pelo cinema nacional.

Antes Que o Mundo Acabe, As Melhores Coisas do Mundo e Os Famosos Duendes da Morte. Três filmes brasileiros que versam sobre as angústias do mundo adolescente. Claro que cada um a seu modo e com peculiaridades narrativas – em especial o último, dirigido por Esmir Filho. Desenrola é justamente tudo aquilo que esse trio (e também Morro do Céu, que foi exibido num circuito limitadíssimo) não é: óbvio, clichê e comercial. O longa de Rosane Svartman parece um capítulo da novela Malhação nos anos 90: a menina que é virgem mas tem medo de admitir, o garoto que é o “pegador” mas não tem compromisso com ninguém e o menino feio/gordinho que faz piada de todos.

Se esses personagens estereotipados fossem o único problema de Desenrola, até dava pra ser mais piedoso com o filme. O problema é que o roteiro dá margem para que essas limitações fiquem ainda mais evidentes. A história é centrada num único assunto (a sexualidade) e não faz questão alguma de abordar outros aspectos das vidas dos personagens. Ou seja, muito humor sobre quem é virgem ou não, hormônios à flor da pele e conquistar a garota certa. É uma produção sem personalidade – e nisso podemos incluir o elenco, que não chega a trazer uma interpretação mais especial…

No final, o que se pode constatar é que, apesar de Desenrola ficar muito longe da boa fase desse cinema adolescente do Brasil, não chega a ser um longa ofensivo ou sequer digno de ser apedrejado. Por um outro lado, merece, certamente o título de produção para Sessão da Tarde. Afinal, todos os elementos teens (tanto em relação ao humor quanto ao drama) dessa atração da rede Globo estão presentes ali. Só faltava, claro, o Bial ser o novo narrador e dizer em alto e bom tom: “Essa turminha do barulho vai aprontar altas aventuras com muita azaração no colégio”. Quem sabe aí sim não fica mais parecido com um filme americano…

FILME: 6.0

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: