Pooh e o resgate da inocência

Com a evolução técnica das animações e maior complexidade de conteúdo originados pela Pixar, o antigo jeito de fazer animações parece ter desaparecido. Se Sylvain Chomet ganha pontos justamente por apostar na humildade técnica em longas como As Bicicletas de Belleville e o recente O Mágico, podemos dizer que obras assim já não são mais populares. Chomet, por adotar esse estilo, é considerado alternativo e suas animações não ganham maior repercussão – até porque não são dirigidas ao público infantil. Nesse sentido, O Ursinho Pooh é uma verdadeira surpresa por trazer de volta o antigo clima dos desenhos animados comerciais que faziam sucesso.

É no mínimo arriscado resgatar um personagem famoso e apresentá-lo nos mesmos moldes que foi concebido. A questão é: será que ainda existe público para personagens inocentes, história construída sem ambições e humor literalmente infantil? Minha resposta é negativa, mas isso não significa que não tenho enorme satisfação em assistir a longas assim. Só o trailer de O Ursinho Pooh (que tem a maravilhosa canção Somewhere Only We Know) já é o suficiente para qualquer espectador notar que a animação é um resgate. No filme, está toda a pureza e inocência tão esquecida pela infância dos dias de hoje…

Dirigida pela dupla Stephen J. Anderson e Don Hall, essa produção causa uma incrível nostalgia: impossível não lembrar dos desenhos de nossa infância, que estavam longe de alcançar perfeição técnica mas que tinham personagens dignos de nossa afeição. Pouco importa a história, mas sim o carisma dessas figuras, a pureza das mensagens e a simplicidade explícita durante todo o tempo. Claramente dirigo para crianças – e também para aqueles que tiverem disposição para entrar no clima – O Ursinho Pooh é um verdadeiro sopro de positividade numa época em que até a Pixar resolveu cair no óbvio fazer continuações… E você, ainda sente saudade das antigas animações?

NA PREMIAÇÃO ‘MELHORES DE 2011’ DO CINEMA E ARGUMENTO:

4 comentários em “Pooh e o resgate da inocência

  1. Mayara, a trilha é ótima!

    Stella, uma boa história é sempre o que conta mesmo… E, nos dias de hoje, acho que isso está em falta!

    Kamila, eu não era fã de “O Ursinho Pooh”, mas é impossível resistir a esse filme!

  2. Eu espero que você esteja errado e ainda exista público para esse tipo de história inocente. Como eu sou muito nostálgica dos desenhos que assistia na minha infância e “O Ursinho Puff” era um deles, com certeza, vou assistir a este filme! :)

  3. Uma boa história é o que conta mais, afinal. Seja a animação nos moldes antigos ou novos.

  4. Confesso que sinto falta de animações assim. Gostava muito do Ursinho Pooh quando era pequena. E a trilha deste desenho é uma delícia, mesmo não tendo visto o filme, acabou me transportando de volta para esse clima nostalgico de inocência. ;)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: