Oscar 2012: Resultados

No último domingo, vimos um Oscar histórico. Mas, devemos ser sinceros, o prêmio chegou em um nível de tédio que está difícil de ser consertado. Não sei o que acontece com essa premiação que é capaz de realizar algo extraordinário (como foi a 81ª edição), mas, depois, ano após ano, entrega cerimônias cansativas e que, por mais que tentem, não conseguem escapar da formalidade ou da previsibilidade. Em termos de festa, como era de se esperar, o Oscar foi, mais uma vez, péssimo. As piadas foram repetidas (a abertura do apresentador passeando entre os filmes indicados já deu o que tinha que dar), os depoimentos dos atores falando sobre cinema simplesmente não tiveram o devido efeito (Adam Sandler, sério?!) e a falta de dinâmica estava gritante.

O maior problema, no entanto, é a falta de balanço entre diálodos/monólogos intermináveis de apresentadores e os breves discursos dos vencedores. Inexplicavelmente, a Academia prefere conferir longos minutos para momentos supostamente descontraídos ao invés de deixar que os vencedores sintam a glória por mais tempo. Colocar Chris Rock (em que ano estamos?!) para falar o tempo que quiser ao passo que corta discursos não é nada elegante, Academia! Nesse sentido, nem Billy Crystal conseguiu ser eficiente – na realidade, é uma prova de que um apresentador, por mais experiente que seja, não consegue ser o suficiente para salvar um texto fraco e um conjunto sem inspiração. A 84ª edição do Oscar veio para provar que é sempre melhor esperar uma festa chata, em termos de entretenimento, para não se desapontar.

Por outro lado, tivemos uma cerimônia justa como há muito tempo não se via. Não só em função da consagração de O Artista, que é praticamente uma unanimidade, mas também porque quebrou vários preconceitos bobos. Foi bom ver os votantes terminando com o bobo raciocínio de que vencedores não precisam mais de prêmios: Woody Allen, por exemplo, venceu depois de décadas por seu trabalho no roteiro de Meia-Noite em Paris. Nos setores técnicos, A Invenção de Hugo Cabret, talvez, tenha levado mais do que deveria (os prêmios de som, por exemplo), mas negar o brilhantismo dos atributos do filme de Scorsese seria pura loucura. Também não dá nem para reclamar dos (merecidos) prêmios óbvios, como filme estrangeiro para A Separação.

Muito mais do que a celebração de O Artista, o Oscar 2012 ficará marcado por aquele que era o evento mais esperado pelo blogueiro que vos escreve: a vitória de Meryl Streep. É provável que seu vestido dourado e sua badalação no tapete vermelho fossem sinais de uma possível vitória. O horrível visual de Viola Davis (agora fazendo um filme sobre invasão alienígena!), que tirava qualquer glamour da atriz de Histórias Cruzadas, também dava a sensação de que, aquele, talvez fosse o tão aguardado momento em que Meryl Streep venceria o seu terceiro Oscar depois de quase 30 anos concorrendo sem vitórias. Não à toa, o prêmio cercado de suspense foi o penúltimo da festa, aumentando ainda mais a expectativa. O resultado? Meryl Streep provando que nem a incompetente diretora Phyllida Lloyd conseguiu colocar pedras em seu caminho.

Ela, que em entrevistas posteriores disse que essa vitória foi ainda mais doce do que as primeiras de sua carreira, fez, como sempre, uma sincera expressão de surpresa. No discurso, estava com os olhos cheios de lágrimas. Agradeceu ao marido, aos colegas de profissão, ao seu maquiador de longa data (que também venceu por A Dama de Ferro), e foi aplaudida de pé. O momento, por mais que detratores (sim, eles existem!) questionem, foi histórico, pois vimos a maior atriz viva ganhar o Oscar. Meryl é a única que, atualmente, pode ser comparada com atrizes do calibre de Bette Davis, Vivien Leigh, entre outras. E vê-la vencer o prêmio é gratificante para qualquer cinéfilo. Não vejo como alguém possa questionar a importância desse momento. A espera pelo terceiro Oscar acabou, Meryl arrasou e, ao contrário do que disse em seu discurso, voltará sim ao palco, um dia, para receber outro prêmio. Espero, no mínimo, que alcance o mesmo número de estatuetas que Katharine Hepburn. Ela merece. Mas, por enquanto, esse lindo momento de vitória já foi mais do que o suficiente!

Vale comentar, também, a péssima transmissão da Rede Globo (ainda bem que existe a TNT!). Não só em função do habitual atraso, mas dos forçados bate-papos entre Maria Beltrão (que agora é entendedora de cinema) e José Wilker. Mais uma vez, a informalidade descamba para o constrangedor. Já é meio caminho andado para que, ano que vem, Sandra Annenberg e Evaristo Costa comentem a cerimônia fazendo piadas sobre mamão… Que vergonha! Falando em Brasil, também não foi dessa vez que conseguimos nosso primeiro Oscar. Devo concordar com a brincadeira da minha mãe: se não ganhamos nem quando existem só dois indicados, é porque não venceremos mais… Sinceramente, premiar a tediosa Man or Muppet para desdenhar Real in Rio foi decepcionante. Carlinhos Brown, vestido de Herculano Quintanilha, de O Astro, merecia sim! Confira a lista completa de vencedores da 84ª edição do Oscar 2012, e, no final do post, o discurso de Meryl Streep traduzido, na íntegra:

FILME: O Artista
ATRIZ: Meryl Streep (A Dama de Ferro)
ATOR: Jean Dujardin (O Artista)
ATRIZ COADJUVANTE: Octavia Spencer (Histórias Cruzadas)
ATOR COADJUVANTE: Christopher Plummer (Toda Forma de Amor)
DIREÇÃO: Michel Hazanavicius (O Artista)
MONTAGEM: Millennium – Os Homens que não Amavam as Mulheres
DOCUMENTÁRIO: Undefeated
DOCUMENTÁRIO EM CURTA-METRAGEM: Saving Face
ANIMAÇÃO: Rango
TRILHA SONORA: O Artista
CANÇÃO ORIGINAL: Man or Muppet (Os Muppets)
ROTEIRO ORIGINAL: Meia-Noite em Paris
ROTEIRO ADAPTADO: Os Descendentes
EDIÇÃO DE SOM: A Invenção de Hugo Cabret
MIXAGEM DE SOM: A Invenção de Hugo Cabret
EFEITOS VISUAIS: A Invenção de Hugo Cabret
CURTA-METRAGEM DE ANIMAÇÃO: The Fantastic Flying Books of Mr. Morris Lessmore
CURTA-METRAGEM: The Shore
FILME ESTRANGEIRO: A Separação
MAQUIAGEM: A Dama de Ferro
FIGURINO: O Artista
DIREÇÃO DE ARTE: A Invenção de Hugo Cabret
FOTOGRAFIA: A Invenção de Hugo Cabret

 _

Quando chamaram meu nome, eu tive a sensação de que podia ouvir metade da América dizendo: “Ah, não! Por que ela de novo?”. Mas… Que seja! Primeiro, quero agradecer Don porque, quando você agradece o seu marido no final do discurso, eles colocam aquela música. E eu quero que ele saiba que o que mais valorizo em nossas vidas… foi você que me deu. E, agora, em segundo lugar, meu outro parceiro. 37 anos atrás, em meu primeiro papel em Nova York, conheci o melhor maquiador e hairstylist: Roy Helland. E nós trabalhamos, constantemente, desde o dia que colocamos os olhos um no outro. O primeiro filme dele comigo foi A Escolha de Sofia, e hoje ele venceu por seu lindo trabalho em A Dama de Ferro, 30 anos depois! Eu gostaria de agradecer ao Roy, mas também gostaria de agradecer – porque sei que nunca estarei aqui novamente – a todos os meus colegas, todos os meus amigos. Eu olho tudo aqui e vejo a minha vida passando pelos meus olhos. Meus velhos amigos, meus novos amigos… E, sério, essa é uma grande honra! Mas o que mais conta, para mim, são as amizades, o amor, e as alegrias que compartilhamos fazendo filmes juntos. Meus amigos, obrigado! A todos vocês, aos que partiram e aos que estão aqui. Obrigado por essa carreira inexplicavelmente maravilhosa. Obrigado!

11 comentários em “Oscar 2012: Resultados

  1. Concordo plenamente, embora me considere suspeita ao falar de meryl streep, pois sou muito fã dela, por mim ela teria levado todas as estatuetas a que esteve concorrendo e não levou rsrsrsrsrs

  2. O que mais me deixou triste no discurso da Meryl foi ela dizer que nunca mais estará lá em cima – como se aceitasse que tenha sido o último Oscar da sua carreira; por outro lado acho que falou falou isso porque afinal se levar mais 30 anos pra ganhar outro prêmio, realmente não vai dar. Eu acho que ainda da pra levar pelo menos mais um. O problema é que a Meryl tem o “azar” de concorrer nos anos errados.. digamos que ela tivesse concorrido com “Duvida” no ano que Sandra Bullock venceu.. as chances de que ela tivesse vencido seriam grandes.. mas nesse ano a vencedora foi Kate Winslet, ótima em O Leitor, que realmente mereceu a vitória. O mesmo se aplica ao ano de The Devil Wears Prada, excelente atuação mas dificil de concorrer com Helen Mirren – não deu pra competir mesmo. Ao mesmo tempo também talvez a academia já a veja como carta marcada e resolva dar chances pra caras novas. Mas acho que um bom papel em um ano certo, da pra levar mais um.
    Outra coisa que achei uma palhaçada foi Tilda Swinton não ter sido indicada por “We Need To Talk About Kevin”.
    E Rooney Mara se por uma insanidade da academia tivesse vencido, deveria pegar o prêmio e ir lá na Suecia dar pra Noomi Rapace, a Lisbeth da versão original, que foi quem realmente mereceu uma indicação.

  3. Kamila, como eu disse em meu texto, difícil entender o que acontece com o Oscar. São tantos problemas que fica difícil encontrar uma rápida solução para todos eles… Quanto ao quarto Oscar da Meryl (sim, eu sonho com isso haha), acho que eles ainda devem demorar anos para dá-lo. Pena que, hoje, não é como nos tempos da Katharine Hepburn – quando dava para vencer o Oscar dois anos seguidos tranquilamente…

    Alex, nunca!

    Reinaldo, o que mais me incomodou foi o tempo perdido com as piadas dos apresentadores. Nada funcionou. Incluindo Billy Crystal!

    Dejota, esse foi o momento em que o Brasil ficou mais perto de vencer um Oscar. Poxa, se nem concorrendo com apenas UM filme vence, é porque o prêmio não deve vir tão cedo…

    Weiner, com certeza merece passar da Katharine! Para mim, Meryl é a maior atriz que o cinema já viu!

    Rodrigo, o Oscar da Sandra Bullock, para mim, é até hoje um completo mistério!

    Cysero, o problema é que “Harry Potter”, em todas as categorias que concorria, só reciclou o que já tinha feito em outros filmes. Não existia nada de novo ali!

  4. O oscar não sabe nem escolher, claro q o maior filme com efeitos especiais e maquiagem é o harry potter e as reliíquias da morte patrte 2…
    e a melhor animação e canção é o filme Rio………….

  5. Meryl quando recebeu o Oscar por A Escolha de Sofia também trajava uma roupa dourada. Será que da próxima vez que a vermos assim, em um Oscar, será sinal de vitória? Coincidências a parte, o brilho dela ofuscou todos os problemas que sempre são recorrentes na premiação. Apesar de algo me dizer que ela venceria, é impressionante como a Academia premia uma Sandra Bullock, e nega categoricamente a honraria a Viola Davis. Enfim, hoje, os cinéfilos acordaram mais felizes do que nunca. Agora começa a batalha pelo quarto Oscar!

  6. Matheus, lendo o discurso com calma, me emocionei muito. É lindo, a cara do discurso que esperávamos ouvir numa vitória de Meryl Streep. Pena que eu, ao contrario de você e outros, acredito no que ela diz; acho que jamais a veremos subir naquele palco outra vez. Espero que eu e ela estejamos errados, mesmo. Como você sabiamente cita, Meryl merece igualar-se a Katharine Hepburn, se não passá-la, porque com a propriedade de quem é fã e conhecedor de filmes e artistas clássicos, digo: Meryl é a melhor e mais versátil atriz que o cinema já viu.

  7. Porque o BRASIL nunca ganha????rsrsrsrs Sinceramente me deu raiva ver aquela porcaria de “man or Muppet” ganhar em cima de “real in rio”,não adianta eles não vão premiar um trabalho de um país latino americano quando “este” esta concorrento com trabalhos de países de “PRIMEIRO MUNDO hehehe” principalmente quando o único concorrente forem “ELES”, os donos da casa. Eles pensam assim :”Espera!!Se dermos o prémio para o brasil estariamos concordando que eles FORAM melhores que nós!! ISSO NUUUUNCAAAA!! O “OSCAR” nunca será 100% justo,e ponto final.

  8. Excelente sacada fechar com esse emocionante e emocionado discurso de Meryl. Foi uma cerimônia um tanto apática, ainda que mais dinâmica e menos constrangedora do que a do ano passado, mas o Oscar em si, como vc bem pontuou, foi dos mais justos do período
    recente. Se erraram na distribuição das indicações, minoraram esse erro na distribuição dos prêmios.
    Abs

  9. Pingback: Trailers dos vencedores do Oscar 2012 | Blog dos Gêmeos

  10. “Porque sei que nunca estarei aqui novamente”. Opa, será que com a terceira estatueta na estante ela se aposentará? U-hu! \o/

  11. Matheus, você foi muito feliz ao dizer que foi uma cerimônia sem muitos arroubos, quase burocrática. Acho que o tema, até mesmo tendo em vista os dois filmes que mais receberam prêmios, foi a nostalgia. O Oscar parecia querer voltar num tempo que não retorna mais. Chegou a um ponto em que essa necessidade de reforçar a nostalgia ficou bastante forçado.

    Também achei que a distribuição de prêmios foi bastante justa. “O Artista” e “A Invenção de Hugo Cabret” mereceram os cinco prêmios que cada um conquistou.

    Os grandes momentos da noite, pra mim, foram as vitórias de Jean Dujardin e de Meryl Streep. Especialmente a da última. Foi emocionante, como esperado. A Meryl já estava visivelmente emocionada desde que o Colin Firth fez o discurso introduzindo a indicação dela. Se a gente for ver também, das três vitórias dela, esse foi o discurso em que ela estava mais emocionada. Acho que misturou o fato de que o favoritismo dela não era incontestável, com os 29 anos em que ela compareceu à cerimônia sendo indicada e perdendo.

    Assim como você, eu espero que ela volte a conquistar um outro Oscar. Chances ela terá pra isso, porque ela é aquele tipo de atriz que sempre recebe propostas interessantes. Daqui a uns dois anos, ela já terá outra oportunidade com a adaptação de “August: Osage Country”… Mas, tenho cá minhas dúvidas se a AMPAS daria um quarto Oscar para a Streep tão rapidamente… Só se fosse uma atuação impressionante e difícil de ignorar – coisa que é totalmente possível, tendo em vista que, como você mesmo bem disse, a Meryl é a maior atriz viva.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: