Melhores de 2011 – Fotografia

Emmanuel Lubezki é um verdadeiro mestre. Indicado cinco vezes ao Oscar, já merecia ter pelo menos duas estatuetas (mas não tem uma sequer). A primeira deveria ter sido por seu magnífico trabalho no subestimado Filhos da Esperança. A segunda pela fotografia igualmente impactante de A Árvore da Vida. Junto com a belíssima trilha sonora de Alexandre Desplat, o trabalho de Lubezki é o grande responsável por tornar o filme de Terence Malick tão sensorial. A história pode dividir opiniões, mas a unanimidade em torno da estética é mais do que coerente. Fica clara a forte ligação da fotografia com o trabalho de direção de Malick, especialmente na forma como a ela serve com perfeição ao clima proposto pelo filme. A fotografia de Lubezki traz uma estética encantadora, onde o resultado nunca se sobrepõe a outros setores do filme. Um trabalho singular e que, certamente, está entre os mais interessantes dos últimos anos.

CISNE NEGRO

Todas as escolhas da fotografia de Matthew Libatique para Cisne Negro foram fundamentais para levar o espectador ao mundo de paranoia da protagonista Nina (Natalie Portman). Da escuridão dos momentos de suspense ao encantamento com o mundo do balé e suas coreografias, o trabalho de Libatique se ajustou perfeitamente ao mundo construído pelo diretor Darren Aronofsky – alcançando, junto com todo o filme, resultado mais do que singular nos minutos finais.

MELANCOLIA

Nos últimos anos, o diretor Lars Von Trier se renovou ao virar um mestre da estética. Não só em relação aos belíssimos prólogos idealizados por ele, mas também ao impecável modo como sabe selecionar profissionais para desenvolver a fotografia de seus filmes. Em Melancolia, Manuel Alberto Claro apresentou um contundente trabalho ao transmitir toda angústia, tristeza e apreensão dos personagens criador por Von Trier. Fotografia subestimada.

BRAVURA INDÔMITA

Elogiar Roger Deakins é cair no lugar-comum. Se John Williams já alcançou, há muito tempo, o status de hors-concours em trilhas, Deakins também pode receber esse título Constantemente brilhante nas fotografias que realiza, Deakins, mais uma vez, foi impecável – dessa vez, em outra parceria com os irmãos Coen, no faroeste Bravura Indômita. Presente e futuro, inverno e escuridão, cenários e paisagens. Em todas as circunstâncias o trabalho de Deakins se sai formidavelmente bem. Só poderia vir de alguém como ele…

Roger Deakins

UM SONHO DE AMOR

Francês responsável pela fotografia de filmes como Swimming Pool – À Beira da Piscina e O Amor em 5 Tempos, Yorick Le Saux apresenta, por exemplo, toda a beleza de locações italianas em um trabalho sublime para Um Sonho de Amor. A fotografia é essencial para a ambientação do espectador, especialmente em momentos onde as imagens valem mais do que palavras (a cena de amor em uma paisagem ensolarada é maravilhosa). Outro trabalho que merecia mais reconhecimento.

EM ANOS ANTERIORES: 2010Direito de Amar | 2009Quem Quer Ser Um Milionário? | 2008Ensaio Sobre a Cegueira

_

Escolha do público:

1. A Árvore da Vida (53,49%, 23 votos)

2. Melancolia (18,6%, 8 votos)

3. Cisne Negro (11,63%, 5 votos)

4. Bravura Indômita (11,63%, 5 votos)

5. Um Sonho de Amor (4,65%, 2 votos)

7 comentários em “Melhores de 2011 – Fotografia

  1. Também considerei A Árvore da Vida a melhor fotografia do ano. Dos teus indicados, não vi Um Sonho de Amor.

  2. Votei em “A árvore da vida”, um trabalho de fotografia simplesmente excepcional. Ainda que a categoria prime pelo alto nível…
    abs

  3. Mayara, a fotografia de “A Invenção de Hugo Cabret” é linda, mas o Lubezki já merecia o Oscar desde “Filhos da Esperança”!

    Kamila, pena mesmo, mais uma injustiça com o Lubezki =/

    Clóvis, subestimado mesmo! Estranho que só a Kirsten Dunst foi lembrada pelo filme – sendo que, nesse caso, a Gainsbourg tinha que receber honrarias também!

    Luís, concordo!

  4. “A Árvore da Vida” me conquistou pela sua fotografia. Trata-se da sua melhor característica.

  5. Ainda não assisti a “Um Sonho de Amor” e gostei da menção a “Melancolia” (um filme meio subestimado na minha opinião). Muito embora eu ache que foi uma tremenda injustiça “A Árvore da Vida” não ter levado o Oscar de fotografia esse ano, meu voto foi para o trabalho de Roger Deakins em “Bravura Indômita”.

  6. Dos seus indicados, só não assisti a “Um Sonho de Amor”, que me parece ser um filme muito bem realizado do ponto de vista técnico. Minha escolha de vencedor foi a mesma que a sua: “A Árvore da Vida”. O trabalho do Emmanuel Lubezki neste filme foi brilhante e merecia ter vencido o Oscar. Uma pena que isso não ocorreu!

  7. Achei muito injusto o trabalho do Lubezki não ter levado o Oscar. Fotografia bela, poética, melancólica… Enfim, linda. Outra categoria em que todos os meus favoritos estão presentes (só não vi “Um Sonho de Amor”) ;)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: