Na coleção… Lembranças de Hollywood

postedge

Quem está acostumado a acompanhar apenas o Mike Nichols ácido e afiado de filmes como Closer – Perto DemaisQuem Tem Medo de Virginia Woolf? certamente poderá se decepcionar com Lembranças de Hollywood. Ainda que o diretor comande esse longa de 1990 com certa dose de sarcasmo, não temos aqui uma trama necessariamente pesada ou de diálogos complexos. Isso, no entanto, não diminui o resultado, que, oscilando entre o drama e a comédia, consegue falar sobre vários temas de forma leve e sucinta. Baseado na vida da atriz Carrie Fisher (que escreveu o roteiro) e em sua batalha para equilibrar drogas, fama e conturbadas relações familiares, Lembranças de Hollywood é bastante feminino e diz muito sobre o universo cinematográfico e famílias que se formam nesse meio – tanto que a própria Liza Minelli escreveu à Carrie Fisher confessando que o resultado em muito se parece com a relação que ela estabelecia com a sua mãe, Judy Garland.

Mesmo com uma indicação ao Oscar para Meryl Streep (a nona da atriz e a única vez que ela não compareceu à cerimônia) e o claro protagonismo da mesma, o filme de Nichols é todo de uma dupla. Falar de Meryl sem mencionar sua parceria com Shirley MacLaine é uma heresia: como mãe e filha, ambas se saem igualmente bem (com Shirley extravagante na medida exata) quando trocam faíscas de inveja e afeto em uma relação permeada por carinho mas também por competição. A própria temporada de premiações daquele ano ficou confusa ao ter que escolher entre elas: ambas foram indicadas ao Globo de Ouro, apenas Shirley foi lembrada pelo BAFTA e Meryl foi a única finalista ao Oscar – juntamente com a canção I’m Checking Out. E aqui um adendo: antes mesmo de ganhar o mundo soltando a voz em Mamma Mia!, ela já dava um show ao soltar a voz em Lembranças de Hollywood, inclusive frente a um piano cantando You Don’t Know Me, de Ray Charles.

A cena da canção de Charles, por sinal, exemplifica bem a dinâmica de Suzanne (Meryl) e Doris (Shirley): enquanto a primeira dá uma versão muito sensível e intimista para a música, a segunda já dá sequência à apresentação da filha soltando com I’m Still Here, saltando em cima do piano e cruzando as pernas com uma acrobacia visivelmente planejada. Uma competição intrínseca por parte da mãe, que sempre precisa aparecer mais, e uma suposta derrota assumida da filha, que nunca se dispõe a entrar no caminho da matriarca, seja por admiração ou por medo mesmo. E é assim durante todo o filme: elas têm o mesmo sangue, mas são figuras opostas e que encaram a vida e a fama de maneiras opostas. Precisam se encontrar – afinal são atrizes e dividem o mesmo meio – só que não possuem nada em comum além da profissão, do sangue e dos deveres familiares em comum.

Contudo, todo esse interessante cenário se constrói muito mais em função das ótimas performances de Meryl e Shirley do que do filme em si, uma vez que Lembranças de Hollywood carece de um clímax e termina, justamente, com número musical de Meryl sem qualquer aviso prévio de que aquela trama estava chegando ao fim. Com incontáveis atores em breves pontas (Annette Bening, Richard Dreyfuss, Gene Hackman, Oliver Platt), o longa de Nichols chama a atenção em função das duas. Leve e descompromissado, Lembranças de Hollywood conseguirá seu carinho durante pouco mais de 90 minutos, mas não se perpetuará por muito tempo. Falta uma força maior nessa história, que pouco se aprofunda em algumas questões (Dennis Quaid só serve para ser mais um obstáculo passageiro na vida infeliz da protagonista). Talvez seja resultado de uma grande confiança depositada na até então inexperiente roteirista Carrie Fisher, que ainda se baseou em um livro de autoria própria! Ela não foi muito além do previsível formato de uma discreta biografia apegada mais à linearidade dos fatos de sua vida do que a uma narrativa diferenciada.

FILME: 7.5

3*

2 comentários em “Na coleção… Lembranças de Hollywood

  1. Kamila, um filme menor do Mike Nichols mesmo… Curiosamente, sempre me lembro pouco dele, mesmo gostando da ótima dupla formada por Meryl e MacLaine.

  2. Realmente, pode não ser a obra de maior destaque da filmografia de Mike Nichols, mas, mesmo assim, “Lembranças de Hollywood”, não deixa de ser um filme legal e que se destaca, basicamente, pelas atuações de Meryl Streep e de Shirley MacLaine.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: