Rapidamente: 2013

Parece mentira, mas 2013 já está quase acabando. Até agora, tem sido um ano de pequenas grandes surpresas e, em um balanço mais breve, superior a 2012. Se você está querendo colocar os filmes desse ano em dia e não sabe por onde começar, preparamos esse especial com rápidos comentários sobre as 54 estreias de 2013 que conferimos até agora. Boa leitura =)

•••

thmidnight

J.J. Abrams reafirmou ser o grande nome da ficção científica contemporânea com Além da Escuridão – Star Trek. Depois do surpreendente A Pele Que Habito, Pedro Almodóvar errou feio com Os Amantes Passageiros. As dores de envelhecer nunca foram tão realistas como em Amor. Os rodopios no mato e a excessiva contemplação aborrecem o repetitivo Amor Pleno. Rachel Weisz é o grande motivo para se conferir Amor Profundo. Joe Wright só melhora como diretor de filmes de época, mas Anna Karenina carece de um roteiro melhor. A desconstrução de um amor cercado de idealizações ganha um retrato lindo e doloroso em Antes da Meia-Noite. Mais uma vez Sofia Coppola fala sobre o nada e se perde nesse mesmo vazio com Bling Ring – A Gangue de Hollywood. Wagner Moura dá mais uma prova do porquê é considerado o melhor ator brasileiro em atividade como o protagonista de A Busca. Mesmo não sendo necessariamente original, A Caça é um interessante retrato de uma vida interrompida. Poucas vezes grandes atores se reuniram para protagonizar um desastre como O Casamento do Ano. No contido A Coleção Invisível, Vladimir Brichta tem a chance de sua vida.

thgravity

O espirituoso Colegas tem leveza e ingenuidade de sobra, e resta a você saber até que ponto julgá-lo por isso. Depois de Lúcia certamente é um dos filmes mais incômodos do ano. O subestimado Detona Ralph tem aquele sopro de originalidade que está faltando à Pixar. Django Livre é cheio de excessos, mas é mais um ótimo Tarantino. Poucas vezes o cinema brasileiro viu uma homenagem tão sincera como Elena. Menos é mais surge como primeira ordem no excelente Ferrugem e Osso. Bruno Barreto tem o momento de sua carreira com Flores Raras. José Wilker inventa de ser diretor e se sai muito mal com o péssimo Giovanni Improtta. Baz Luhrmann se desapega da obra original e dá o seu tom – para o bem e para o mal – a O Grande Gatsby. Alfonso Cuarón dá uma aula de direção em Gravidade, o filme-evento do ano. Hitchcock é uma das grandes decepções de 2013. Denise Fraga mostra que merecia outras grandes chances como a que recebeu em Hoje. Em A Hora Mais Escura, Kathryn Bigelow dá um tom grandioso demais a um tema que, na vida real, há muito já estava praticamente esquecido. Indomável Sonhadora é todo de Quvenzhané Wallis.

thmasterO óbvio ganha tons muito nervosos em Invocação do Mal. Para os apreciadores de música, Jorge Mautner: O Filho do Holocausto pode ser bastante interessante. William Friedkin volta a apresentar um vigor surpreendente com Killer Joe – Matador de Aluguel. Em todos os sentidos, O Lado Bom da Vida é um dos filmes mais superestimados de 2013. Historicamente, Lincoln tem seu valor, mas está longe de ser um grande longa. Repleto de surpresas, O Lugar Onde Tudo Termina consolida o nome de Derek Cianfrance. Mama não assusta ninguém. O melhor filme do Oscar 2013 nem concorria nas categorias principais: O Mestre, de Paul Thomas Anderson. Os Miseráveis é o melhor musical desde… quando mesmo? A Morte do Demônio é pura agonia. Joseph Kosinski ainda vai longe, mas, com Oblivion, prova que precisa de melhores roteiros. Os fetiches de Lee Daniels atrapalham por completo o desfocado Obsessão. Mais um documentário musical dirigido aos fãs, assim é One Direction: This is Us. Poucas vezes a vergonha alheia foi tão grande como em Para Maiores.

thmoveMaria de Medeiros se sai bem ao retratar a ditadura com Repare Bem. Maggie Smith reina no singelo O Quarteto. O Que se Move é um dos filmes mais recompensadores de 2013 para quem se propõe a embarcar em seus difíceis dramas femininos. Uma das eras de ouro da fórmula 1 é relembrada de forma bastante digna por Rush – No Limite da EmoçãoO coreano Park Chan-Wook não debutou em Hollywood com grande estilo. O roteiro pouco aprofundado impede que Serra Pelada seja um filme mais interessante. As Sessões é um verdadeiro banho de sutileza. Renato Russo nunca foi tão chato como em Somos Tão Jovens. Kleber Mendonça Filho marca época no cinema brasileiro com O Som ao Redor. A equipe de O Tempo e o Vento deveria entender que dois séculos de história não podem ser devidamente contados em meras duas horas. Steven Soderbergh se despede – mais uma vez – com o regular Terapia de Risco. Betse de Paula tem seus momentos com Vendo ou Alugo. Apenas a cena-título surpreende em O Voo.

5 comentários em “Rapidamente: 2013

  1. Brenno, “Além da Escuridão – Star Trek” está, certamente, entre os melhores do ano!

    Jeniss, ainda tenho minhas dúvidas sobre qual é o meu filme favorito do ano. Pelo menos cinco têm minha total admiração.

    Kamila, preciso conferir logo “Os Suspeitos”!

    Clóvis, não sou o maior fã de “A Hora Mais Escura”, mas concordamos em todos os outros que você comentou.

  2. Até o momento, “Gravidade”, “A Hora Mais Escura”, “Os Miseráveis” e “O Mestre” são os meus longas favoritos do ano. E já não vejo a hora de conferir “Amor” e o tão bem comentado “Flores Raras”.

  3. O primeiro semestre de 2013, pra mim, teve como grande destaque os filmes do Oscar. A situação melhorou bastante nesse segundo semestre, especialmente com os destaques que foram “Os Suspeitos” e “Gravidade”. Destaco também os bons longas nacionais como “Faroeste Caboclo” e “Serra Pelada”, além de “Flores Raras”.

  4. Pois é. Por enquanto Gravidade é o filme do ano. Star Trek é ótimo… Desde que você seja iniciado em Star Trek. Do Oscar, os melhores passaram em 2012 aqui, Argo e Pi. Das comédias, a que mais me agradou foi The Way Way Back. O Som ao Redor é meio lento, mas excelente. E Serra Pelada é muita história pra pouco filme, apesar da produção caprichada. Gostei das rápidas do texto

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: