Três atores, três filmes… com Filipe Matzembacher

filipetresSócio-diretor da Avante Filmes em Porto Alegre, Filipe Matzembacher já viajou o mundo com filmes que dirigiu e escreveu. Entre diversos curtas e longas, ele agora vive um dos grandes momentos de sua carreira: Beira-Mar, filme que realizou ao lado de seu sócio Márcio Reolon, já foi apresentado no Festival de Berlim e segue fazendo uma bela carreira em festivais internacionais. O filme é norteado por uma temática recorrente na carreira do diretor: as complexidades da juventude e da sexualidade. A primeira vez que entrei em contato com o trabalho do Filipe foi com Cinco Maneiras de Fechar os Olhos e, a partir daí, também fiquei atento a outros projetos relacionados a cinema que ele desensolve aqui no sul, como o CLOSE – Festival Nacional de Diversidade Sexual. As escolhas do Filipe trazem um bicampeonato: novamente Gena Rowlands é lembrada na coluna por seu desempenho em Uma Mulher Sob Influência. Além da lista, ele também nos enviou uma breve introdução. Você confere tudo abaixo!

A lida com os atores, na busca da construção de personagens complexos e de obras sensíveis foi um dos principais motivos que me fez ingressar no cinema. Por isso já começo informando o quão difícil foi fazer essa lista – principalmente para um geminiano! Para ser completamente honesto, precisaria de uma lista das 100 atuações que mexeram comigo. Mas aqui vão três atuações em tons diferentes, de obras também muito distintas, mas que buscam essa verdade – conceito tão abstrato – de maneira bem interessante.

Joe Dallesandro (Flesh)
Um garoto de programa passa o dia na rua, entre conversas amigáveis, programas e casos extraconjugais, enquanto tenta conseguir uma quantia de dinheiro para sua namorada. No longa-metragem dirigido por Paul Morrisey e produzido por Andy Warhol, o registro do corpo e da interação de Joe Dalessandro com os outros atores é tão cru e natural que te cativa a cada segundo.

Margit Carstensen (As Lágrimas Amargas de Petra von Kant)
Nesse clássico do diretor alemão Rainer Werner Fassbinder, a dramaturgia é o centro da pulsão criativa. A protagonista desse drama sobre amor e dominação sustenta (junto da direção, é claro), os 124 minutos de filme com maestria. Com um elenco muito pequeno e uma só locação, a história de amor entre a estilista Petra e a modelo Karin é revelada em grandes atos, divididos por elipses que demonstram as mudanças nas relações dos personagens e de seus estados psicológicos.

Gena Rowlands (Uma Mulher Sob Influência)
Amor, cotidiano e loucura. Uma câmera próxima dos personagens, um roteiro crescente, que ora te sufoca, ora te faz sorrir e uma atuação brutal de Gena Rowlands como a amável e instável Mabel. A violência e a paixão, a esquizofrenia e o casamento, tudo está relacionado. A cada olhar de Gena seu coração vai se rasgar um pouquinho.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: