Três atores, três filmes… com Vitor Búrigo

Ainda que a democratização dos blogs e, mais recentemente, da ideia de encarar a função de youtuber como algum tipo de profissão dê a equivocada impressão de que basta estar na rede para se tornar alguém, segue sendo imprescindível a relação entre tempo, dedicação e paciência para que se construa algum tipo de reputação, seja ela qual for. E quando se trata de cultura ou especificamente cinema, mais ainda: não basta ter opinião, é preciso ver filmes, ler, viver certas coisas e até, quem sabe, estar em alguns festivais por aí para entender de perto como funciona o dia a dia de quem faz cinema. Autor do CINEVITOR, o meu amigo cinéfilo Vitor Búrigo entende tudo isso, e foi uma verdadeira alegria encontrá-lo por Gramado e descobrir que, antes de tudo, ele é um cara apaixonado por cinema. Nada melhor do que estar por perto de quem primeiro faz as coisas simplesmente porque gosta. Há algo em comum ainda mais específico na minha identificação com o Vitor: a predileção por grandes desempenhos femininos, que é onde justamente ele procurou se focar para sua participação aqui no blog. Uma homenagem justa e de pura coincidência para antecipar o dia internacional da mulher e também uma lista de respeito para a 30ª edição dessa nossa coluna!

Sonia Braga (Aquarius)
Na história do cinema brasileiro, Sonia Braga tem um capítulo à parte. Sua estreia nas telonas aconteceu em 1968, no filme O Bandido da Luz Vermelha, de Rogério Sganzerla. Depois disso, se destacou em diversos papéis, trabalhou com grandes diretores, fez sucesso no exterior, foi premiada e se destacou como uma renomada atriz que levou o nome do nosso país mundo afora por meio da sétima arte. Tieta, Gabriela, Dona Flor, Mulher Aranha: todas elas marcaram época, assim como Clara, de Aquarius, seu mais recente trabalho nos cinemas. No filme, dirigido por Kleber Mendonça Filho, Sonia interpreta uma jornalista aposentada, escritora e viúva, que enfrenta as investidas de uma construtora que pretende demolir o terreno onde fica seu aconchegante apartamento para dar lugar a um novo empreendimento. Porém, sua briga vai além do apego material e sentimental. Vai além do fato de demolir suas memórias e enterrar parte de sua história. O confronto é mais complexo e real e traz uma crítica social importante e necessária. Sonia Braga está espetaculosa na telona. Sua atuação cria uma personagem grandiosa, que domina todas as ações. Seu olhar, os gestos, as falas; tudo contribui para seu desempenho elogiável. E assim, mais uma vez, fomos presenteados com o talento de Sonia Braga, que, como de costume, brilhou em tapetes vermelhos, retornou brilhantemente a Cannes e foi premiada e aplaudida pelo mundo todo. Um ícone. Uma musa. Uma atriz talentosa.

Fernanda Montenegro (Central do Brasil)
O filme de Walter Salles ganhou o Urso de Ouro em Berlim, foi premiado no Globo de Ouro, no BAFTA, indicado ao Oscar e emocionou os espectadores ao contar a história de Dora, uma mulher que escreve cartas para analfabetos na Central do Brasil, no Rio de Janeiro. Certo dia, ela conhece Ana e seu filho Josué. A moça pede que ela escreva uma carta para o pai do menino, pois ele sonha em encontrá-lo. Mas, na saída da estação, Ana é atropelada e Josué fica abandonado. Dora leva o menino para casa e decide viajar com ele em busca do pai, no interior nordestino. Coube a Fernanda Montenegro a missão de interpretar a protagonista dessa história comovente. Dama do teatro, sucesso na TV e destaque nas telonas, a atriz, uma das mais respeitadas e prestigiadas do Brasil, desempenhou com maestria seu ofício. Ao viver Dora, uma mulher rude, que esconde seus sentimentos em uma barreira emocional quase invisível, Fernanda dá um show de atuação, como de costume, e retrata a realidade de muitos brasileiros, que lutam diariamente pelo sustento e sobrevivência. Ainda que traga uma certa maldade em sua personalidade, em meio a pequenas corrupções cotidianas, Dora aceita se aventurar pelo país ao lado de um menino estranho em busca de sua felicidade. Emoções e sentimentos se misturam em um filme genuinamente brasileiro. Com Central do Brasil, Fernanda Montenegro foi eleita a melhor atriz do Festival de Berlim, em 1998, foi indicada ao Oscar, Globo de Ouro, premiada no Havana Film Festival, reconhecida pelos críticos de Los Angeles e Nova York, e também pela National Board of Review. Atuação magistral de uma atriz espetacular.

Isabelle Huppert (Elle)
Em Elle, de Paul Verhoeven, Isabelle Huppert interpreta Michèle Leblanc, uma mulher que aparenta ser indestrutível. Realizada profissionalmente, sua vida vira de cabeça para baixo quando é atacada em sua própria casa por um criminoso desconhecido. Quando decide procurar seu agressor, encara um jogo de curiosidade e suspense, que pode sair do controle a qualquer momento. A cada acontecimento é perceptível que somente Isabelle Huppert poderia ter interpretado esse papel. E de forma tão impecável. Sua feição, seu olhar e sua atitude diante dos fatos que desenrolam a narrativa tomam conta das cenas. A frieza da personagem, mesmo depois de ser violentada, é intrigante e traz diversas questões a serem analisadas e refletidas. Que Huppert é arrebatadora em cena já sabemos, mas, em Elle, ela vai além ao causar estranhamento e perturbação em meio a assuntos delicados explorados por Verhoeven. Sua atuação te faz sair da sala do cinema pensando e te deixa embasbacado com tamanho talento em cena. Que atriz!

3 comentários em “Três atores, três filmes… com Vitor Búrigo

  1. Fernanda Montenegro foi expetacular em Central do Brasil… deveria ter ganhado o Óscar de Melhor Atriz.

  2. Gostei das escolhas do Vitor. Três grandes atrizes, em três grandes performances, interpretando três personagens fortes.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: